Pastores e prefeito de Codó desrespeitam decreto estadual, Ministério Público, OMS e fiéis

Após reunião realizada na noite desta segunda-feira (06), o Conselho de Pastores de Codó e o prefeito Francisco Nagib decidiram pelo retorno dos cultos nas igrejas evangélicas mesmo diante da pandemia do coronavírus. De acordo com a assessoria de comunicação do governo municipal, a medida teve o aval do promotor de justiça e do comandante da Polícia Militar.

Apesar da comemoração de parte da comunidade evangélica, a decisão é contrária ao decreto assinado pelo governador Flávio Dino, que mantém a suspensão até 12 de abril de atividade que possibilitem a grande aglomeração de pessoas em equipamentos públicos ou de uso coletivo.

A decisão de retornar com os cultos evangélicos pode gerar grandes problemas para os envolvidos. O próprio Procurador-geral de Justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, recomendou que os prefeitos sigam as normas federais e estaduais e lembrou que o Código Penal Brasileiro prevê detenção de um mês a um ano, além de multa, para quem descumprir determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa.

Lembramos que a decisão do prefeito e pastores também desrespeita as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS), que pedem que as pessoas permaneçam em casa e evitem locais fechados com muitas pessoas. Além disso, a medida vai colocar em risco a saúde dos fiéis que participarem dos cultos.

6 Comentários

  1. Infelismente o DIZIMO nessas horas eh mais importante que tudo!!!
    Quais desses pastores de codo fizeram algo de util nessa pandemia???
    R: nenhum
    Criticos babacas de plantao por favor mostrem a cara agora apos meu comentario!!

    • Grande besteira essa matéria . Ô repórter, o Mercado Central, vc tem passado por lá? Entre outros locais de Codó. Se você não que ir ir pra Igreja, deixa quem ir em paz, pare de sensacionalismo em busca de visualização.
      Claro, tem que tomar as medidas de Seguranças, mas é melhor obedecer a Deus do que à homens.

  2. Igreja fechada, não entra dindin. Pronto falei.

  3. Lembre-se que o decreto estadual fere a constituição ao fechar Igrejas, decreto algum é maior que a Constituição Federal

    • Sim, mas aí já seria questão de cuidadado com a pandemia. Nesse mento não e pra se pensar em nada de decreto e sim no isolamento social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!