Sâmara Braúna firma compromisso com a jovem advocacia com políticas inovadoras

A candidata à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Maranhão, Sâmara Braúna, recebeu novas adesões durante o evento “Pacto pela Advocacia”, organizado pela Chapa 3. Na oportunidade, o advogado Misael Rocha disse que, com a eleição dela a advocacia militante construirá um novo caminho para os advogados maranhenses.

“Somos a terceira via. A que pensa nos jovens advogados, na mulher advogada, no profissional idoso, nos que têm problemas financeiros, nos que estão com dificuldade de montar escritório, nos que querem construir um bom nome. E são esses que estão apoiando a Sâmara e eles são no mínimo 50% dos inscritos na OAB Maranhão”, destacou Misael Rocha.

Por sua vez, o vice-presidente pela Chapa 3, Adelmano Benigno, lembrou que o projeto do grupo é de inclusão, pois é o único a manter uma candidata mulher à presidência da OAB-MA e um jovem advogado representando a diretoria nas eleições do Maranhão. “Não trabalhamos a política de ostentação, nem de festas. O que fazemos é um convite para que todos venham conhecer nossas propostas, cujo trabalho pensa na coletividade”, discursou.

Durante sua fala, Sâmara Braúna fez questão de dizer que acredita e vive a advocacia. Durante os 17 anos que exerce a profissão, a advogada nunca se lançou na política classista, portanto a eleição para a OAB Maranhão em 2018 é a primeira experiência nesse sentido. “Aceitei o desafio porque percebi que precisamos tirar do papel velhas promessas que deveriam ser já obrigações na Ordem que se propõe lutar pela classe. A atual gestão não tem nada de diferente para nos oferecer! O que mudou, o que melhorou na advocacia nos últimos três anos?”, questionou a candidata.

Ela também disse que há uma parcela muito grande de advogados e advogados desassistidos pela OAB Maranhão, cuja diretoria não apresenta nem um projeto de planejamento. “Não há projetos para inserir o jovem advogado no mercado de trabalho, não há fiscalização e nem apoio aos advogados que já estão há anos exercendo a profissão, não há política de valorização, não há luta aguerrida para que sejam respeitadas as prerrogativas e não há cobranças para aqueles que as desrespeitam”.

Diante desse quadro, a proposta de Sâmara Braúna é corrigir esses erros e efetivamente implantar projetos que valorizem a classe e mostrem a força da advocacia maranhense.

Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!