Marcelo Coelho apresenta projeto do Parque Estadual do Sítio do Rangedor para MP

O Secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Marcelo Coelho, apresentou, nesta quarta (19/10), o projeto da construção do Complexo Ambiental do Parque Estadual do Sítio do Rangedor para o Ministério Público Estadual.
Estavam presentes o promotor de justiça Luís Fernando Barreto (MP);  procurador geral Rodrigo Maia (PGE); o secretário de Estado de Governo, Antonio Nunes; e o arquiteto Marcos Borges.
Na ocasião, foram tiradas todas as dúvidas referentes à construção. “O parque foi uma Estação Ecológica, mas devido à quantidade de áreas que sofriam ataques com queimadas criminosas, despejo de lixo e prática ilegal de caça, o Governo do Maranhão, por meio da Lei Estadual Nº10. 455/2016, estabeleceu uma nova categoria ao local: a de Parque Estadual, que agora pode receber as intervenções nas áreas identificadas no zoneamento do Plano de Manejo 2017 como degradadas. E é exatamente nessas áreas que vamos atuar na construção do complexo”, explicou o secretário Marcelo Coelho.
Coelho, ainda, completou: “Nós vamos recuperar essas áreas e, assim, preservar a unidade de conservação. Faremos, inclusive, o plantio de árvores nativas, e priorizaremos o uso do espaço pela população”.
O Parque tem um total de 122 hectares de área. De acordo com o levantamento feito por equipe técnica da SEMA, são  44 hectares de área degradada, o equivalente a 35% da área total. A construção tomará 9 hectares e em todo o restante serão plantadas mais de 400 espécies nativas.
“Mapeamos, ainda, oito nascentes na área, que serão preservadas, porque além de estarem dentro de um parque, são áreas de preservação permanente (APP). Além disso, por meio dos estudos, foram identificados ainda mais de dez quilômetros de trilhas que proporcionarão opções de passeios aos visitantes”, destacou o secretário.
O Parque Estadual do Sítio do Rangedor dispõe de Plano de Manejo com seu respectivo zoneamento. “Isso permite definir as zonas de fragilidade natural e, por sua vez, de áreas que podem ser utilizadas para implantação de serviços de infraestrutura para recreação, esporte e lazer, visitação e trilhas ecológicas”, afirmou a bióloga da SEMA, Janaina Dantas.
Após conhecer todo o projeto o promotor Fernando Barreto sentiu-se satisfeito com a apresentação e elogiou a iniciativa.
O parque será construído com recurso da ordem de R$ 19 milhões. O novo espaço terá várias praças, estacionamentos, pista de caminhada, ciclovia, trilhas naturais, playgrounds, academias ao ar livre, campo de beach soccer oficial, quadras poliesportivas, espaços de convivência e uma lagoa natural. Tudo com material ecológico, que manterá a principal função da unidade de conservação, que é de recarga de aquíferos da Ilha. A previsão de inauguração é no primeiro semestre de 2018.
Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *