Francisco Nagib surpreende, recebe manifestantes e abre gabinete para diálogo

O prefeito abraçou pessoas e convidou à todos para uma conversa que aconteceu com uma comissão em seu gabinete na presença da imprensa: TV Codó, TV Mirante, FCTV, TV Cidade e Rádio Eldorado AM.

Recebeu uma extensa pauta de reivindicação e finalizou, depois de quase duas horas de debate onde esteve assessorado pela secretária de Administração, Délia Assen, de Educação Deuzimar Serra, pelo controlador-geral do município Artur Veras e pelo vice-prefeito Ricardo Torres, dando seu posicionamento.

DEMOCRACIA

Enalteceu a forma democrática como recebeu os manifestantes e citou questões históricas jogadas sobre seus ombros.

“Nós já recebemos todas as demandas que vocês passaram, entendo a necessidade que vocês querem. Eu acredito que são problemas não atual, são problemas históricos que vocês veem tendo de vários gestores, não foi o Zito, não foi o Biné, não é o Ricardo Archer, é uma coisa histórica que hoje vocês estão descarregando sobre meus ombros com apenas 20 dias de governo, 18 dias de governo pra mim resolver. Eu entendo, sei das necessidades, parabenizo, a forma que eu irei sempre administrar a cidade vai ser essa forma democrática de receber as pessoas lá fora, escutar e ver, realmente, o que vocês querem”

Cobrou atitude dos professores para ajudá-lo na missão de alavancar o IDEB, por exemplo, atualmente de 4.0.

“Eu queria aqui escutar alguém defendendo as crianças que esperam uma educação de qualidade (…) os professores defendendo as classes deles, pedindo as reivindicações, interesses apenas dos professores, que é direito de vocês, agora a gente também, eu espero, eu quero aqui ser o advogado também da população,  eu quero aqui ser defensor da população que espera em mim ações que possam, realmente, melhorar o IDEB que hoje tá 4.0. Eu aqui estou defensor de uma nação de 120 mil pessoas que me elegeram e disse assim – se ele não dé jeito, ninguém dá – então eu tô aqui pra resolver”

8 HORAS DIÁRIAS

As 8 horas de trabalho vão ser mesmo estabelecidas pelo que ficou claro, mas não será para todas as secretarias. De acordo com Francisco Nagib, somente naqueles em que o serviço público prestado exigir.

“A jornada de trabalho é uma lei que já existia, nós colocamos o decreto dizendo que vai haver exceções, tem locais que é preciso trabalhar 8 horas porque a população está esperando o serviço (…) eu acho injusto a pessoa chegar no serviço cedo, trabalhar 6 horas, nem almoçar e tirar direto, eu tô dando direito dele almoçar com sua família, retornar ao seu serviço e contribuir mais com a população. Mas, por exemplo, ah! tem a secretaria de Juventude que não precisa funcionar, ok, esse setor não tem necessidade pra 8 horas, eu não quero que a pessoa fique lá sem ter o que fazer”

FUNCIONÁRIOS FANTASMAS

Tratou do recadastramento dando a entender que o fez para eliminar, entre outras coisas, os famosos funcionários fantasmas.

“Se existe funcionário fantasma ele se encerrou em 31 de 12 de 2016 agora por é a norma que eu tenho colocado. Por que eu tô fazendo recadastramento? porque existem funcionários que passaram em concurso e estão lá em Teresina morando e bota qualquer um aqui pra dar aula, é por isso que nós estamos fazendo o recadastramento”

PROPOSTAS E CONTRAPARTIDA

Voltou a pedir uma contrapartida dos que lhe foram pedir apenas direitos.

“São problemas que eu irei analisar com todo respeito pra gente resolver, se não dá pra resolver dizer como é que tem que se cobrar, mas sem resposta não vão ficar, então a gente encontra uma maneira. Eu quero ver essa cidade crescer, eu quero ver o IDEB dessa cidade desenvolver, é isso que eu quero, a contrapartida dos professores também”

E O DINHEIRO do Fundeb?

Nagib disse que não falaria a respeito porque quem usou os mais de R$ 4 milhões foi o ex-prefeito Zito Rolim.

Ricardo Torres se ofereceu para encampar uma investigação frente aos órgãos de controle interno da prefeitura para mostrar ao SINDSSERM onde foi parar este dinheiro que ele sustenta ter caído na conta da prefeitura dia 27 de dezembro, portanto, 1 dia antes do último pagamento dos professores que ocorrera em 28 de dezembro. Torres argumentou que foi aplicado quase sua totalidade.

“Existe um saldo ainda do FUNDEB boa parte desses recursos foi aplicado nas despesas da educação principalmente em folha de pagamento de professores incluindo aí 13º salário dessa categoria…ELES QUESTIONAR QUE FORAM PAGOS ANTES DO DINHEIRO CAIR? Não, na verdade o dinheiro caiu dia 27 e a folha dos professores foi pro banco dia 28”, disse o vice em entrevista

Vale ressaltar que os educadores sustentam que a verba complementar do FUNDEB caiu 1 dia depois deles terem sido pagos.

Fonte: Blog do Acélio Trindade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!