Equipes de segurança pública começam a ser vacinadas contra Covid-19 em Codó

O Governo do Estado do Maranhão começou a vacinar, nesta terça-feira (13), profissionais de segurança pública contra a Covid-19 em Codó. No total, segundo dados da Regional de Saúde, 640 pessoas serão imunizadas.

A expectativa é vacinar profissionais de sete corporações (Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Agente penitenciário, Ciretran e DMTRANS) de seis municípios diferentes (Codó, Timbiras, Coroatá, Peritoró, São Mateus e Cantanhede.

O comandante do 17º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel J. Alves, e o comandante do Policiamento de Área do Interior 4 (CPAI-4), coronel Jurandy Braga, analisaram de forma positiva a imunização dos profissionais e acreditam que os policiais terão mais tranquilidade para trabalhar na segurança das populações dos municípios que atuam.

“Nós, como profissionais da segurança, desde o início da pandemia que assola o mundo até hoje, os profissionais de segurança nunca pararam. Eles sempre estiveram combatendo o crime, em contato direto com várias pessoas, e não só na atividade constitucional de prevenção e ostensividade, mas também apoiando as ações do município (…). Então essa vacina é bem-vinda para que nós possamos, os profissionais de segurança, possamos fazer uma prestação de serviço melhor. (…)”, destacou o comandante J. Alves.

“Os policiais militares, assim como os demais profissionais da área de segurança, tem realizado o seu trabalho com afinco, tem realizado seu trabalho sem restrições desde o início da pandemia, independente de qualquer fase da pandemia, de lockdown. Mas como é um serviço essencial, esses profissionais, desde o início da pandemia, tem demostrado muito esforço, muita coragem e dedicação, assim como os profissionais da saúde que também já foram vacinados, chegou a vez dos profissionais de segurança pública, o que demostra um compromisso do Governo do Estado, do nosso secretário de segurança, com a saúde de segurança”, pontou o coronel Jurandy Braga.

1 Comentário

  1. Contradição. Querem que as aulas retornem de forma presencial, mas não priorizam os profissionais da educacao.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *