Atendimento do Governo continua chegando a atingidos pelas chuvas no interior

Passados mais de 20 dias desde que chuvas fortes causaram alagamentos e enchentes em algumas cidades maranhenses, o Governo do Estado continua a pôr em prática o plano de contingência e o mapeamento das áreas de risco, desenvolvidos por secretarias e órgãos da gestão estadual, participantes do Comitê de Prevenção e Acompanhamento de Inundações no Maranhão.

Reunindo ações permanentes e integrando atuação de diferentes órgãos e secretarias, como as de Desenvolvimento Social (Sedes), Infraestrutura (Sinfra), Saúde (SES), Força Estadual de Saúde (Fesma), Defesa Civil, Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Centro Tático Aéreo (CTA), entre outros, a ajuda aos mais de 20 municípios monitorados continua a chegar de forma rápida a quem precisa.

Saiba mais:

Com o envio da última sexta-feira (20), já são mais de 1.200 cestas básicas, colchões, redes, galões de 20 litros de água e 500 filtros de barro levados para os municípios afetados pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes). A Fesma continua a anteder pessoas de todas as idades visando a precaução de enfermidades causadas nessas situações e o Corpo de Bombeiros e Defesa Civil continuam a operar em ajuda aos municípios na retirada das famílias, identificação dos atingidos, das áreas de risco e no controle da altura dos rios.

“No Maranhão, nós temos dois desastres endêmicos: no primeiro semestre, a chuvas que causam enchentes e enxurradas, e no segundo semestre o período de estiagem, onde acontecem as queimadas”, explica o coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Izac Matos.

“A atuação precisa acontecer nesses dois momentos de forma coordenada e é nisso que o Comitê se encaixa, realizando ações preventivas e de monitoramento que envolvem órgãos e secretarias de estado”, completa o Coronel.

As ações incluem treinamento para a correta assistência pós-evento e a produção de documentos e relatórios para legitimar a situação de emergência, o que possibilita aos municípios o recebimento de recursos para auxílio das famílias afetadas.

“Nos últimos dois anos, 364 agentes municipais receberam o treinamento completo da Defesa Civil. Esses treinamentos buscaram difundir os conhecimentos técnicos na área de Proteção e Defesa Civil, possibilitando aos agentes municipais atuarem com mais efetividade na gestão do risco e no gerenciamento do desastre”, destaca Izac Matos.

Refeições e ajuda

O apoio do Governo do Maranhão está sendo reforçado dia a dia aos atingidos pela chuva. Uma das ações é o envio pelo Restaurante Popular de Pedreiras de 900 refeições diárias gratuitas prontas para moradores prejudicados pelas enchentes em Trizidela do Vale e Pedreiras.

Além disso, o governador Flávio Dino anunciou que famílias prejudicadas pelas fortes chuvas das últimas semanas podem solicitar a inscrição no Cheque Minha Casa para reconstruírem suas residências.

Redução

Dentro do Plano de Contingência, um posto de comando da Defesa Civil foi instalado em Trizidela do Vale para realizar o atendimento dos municípios do Centro Maranhense, onde estão a maioria das cidades com quadro de inundação, destinando auxílio humanitário e apoio aos municípios afetados.

Essas equipes identificaram que o leito do Rio Mearim começou apresentar diminuição de volume, registrando na última sexta-feira (20), 6.6 metros.

Situação dos afetados

Sobre a quantidade de famílias afetadas pelas inundações, há registro de casos nos seguintes municípios:

  • Marajá do Sena – 185 famílias afetadas
  • Pedreiras – 206 famílias afetadas
  • Trizidela do Vale – 463 famílias afetadas
  • Caxias – 8 famílias afetadas
  • Lago dos Rodrigues – 4 famílias afetadas
  • Presidente Vargas – 126 famílias afetadas
  • Brejo – 18 famílias afetadas
  • Bacabal – 141 famílias afetadas
  • Imperatriz – 15 famílias afetadas
  • São João do Sóter – 483 famílias afetadas
  • Tuntum – 335 famílias afetadas
  • Codó – 68 famílias afetadas
  • Formosa da Serra Negra – 0 famílias afetadas
  • São Luiz Gonzaga – 34 famílias afetadas
  • Timbiras – 38 famílias afetadas
  • Cantanhede – 0 famílias afetadas
  • Conceição do Lago Açu – 100 famílias afetadas

Ao todo, são 12 cidades em situação de emergência no Maranhão, incluindo Marajá do Sena, Pedreiras, Trizidela do Vale, Caxias, Lago dos Rodrigues, Presidente Vargas, Brejo, São João do Sóter, Tuntum, Formosa da Serra Negra, São Luis Gonzaga e Conceição do Lago Açu.

Já Rosário, Nina Rodrigues, Paulino Neves, Araioses e Presidente Juscelino então em alerta.

Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!