Andrea Murad define o governo Flávio Dino como “GAIOLA DAS LOUCAS”

Não consigo encontrar outra expressão que não esta, “GAIOLA DAS LOUCAS”, para definir no que se transformou o governo do Maranhão. Pensei um “TREM DESGOVERNADO”, mas a expressão não condiz com a lambança protagonizada por Flávio, Jerry, Lula e companhia. O palco armado pelo secretário de Saúde hoje na Assembleia serviu para um espetáculo surreal, deprimente, para uma confissão seriada de crimes contra a administração pública que a continuar, os prejuízos serão incalculáveis para os maranhenses e não podemos permitir que aconteça. Vou ser direta no essencial e na reposta de Lula, chocante e inacreditável.
Crimes, somente crimes contra a administração na fala do secretário. Não posso crer que ele seja ingênuo, acredito que, como Flávio Dino e Márcio Jerry, ele também se considera acima da lei e que o governo pode e deve ser da forma, do gosto e da conveniência que entenderem. Só isso justifica tanta loucura dita por Lula. Para ele a licitação pública para a ampliação do Hospital Carlos Macieira (o anexo II) — com projeto específico destinado a prover mais 204 leitos e outros serviços para a unidade principal, que já dispunha de 222 leitos, fruto da reforma e ampliação concluída em 2014, feita para atender a demanda pelos procedimentos de alta complexidade da nossa população, — poderia simplesmente por vontade própria ser modificada para no seu lugar se construir um hospital para o Servidor do Estado com recursos da Saúde e do BNDES. Pasmem. Pois o secretário afirmou que cometeu esse crime com a cara mais limpa do mundo como se todos fôssemos idiotas.
Meus comentários sobre as sandices ditas para justificar esse crime deixarei para depois. Mas não parou aí. Instado para justificar o motivo para não licitar a reforma da clínica alugada de sua assessora por R$ 90 mil reais por mês e que custou R$ 903 mil reais, que a Lei Federal 8.666 exige licitação pública na modalidade Tomada de Preço, ele simplesmente mentiu afirmando que não era necessária. Disse que a SINFRA decidiu optar por aderir a uma ata de “reforma” do Tribunal de Justiça do Maranhão. Criminosamente, e de novo achando que somos todos idiotas, fez questão de omitir que a SINFRA em 2015 aderiu à Ata do TJ para fazer a manutenção corretiva e preventiva de prédios do Estado pois foi esse o objeto da licitação do TJ, licitar a contratação de empresa para “MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA DOS FÓRUNS” e não para REFORMAR prédios como afirmou. Também ignorou o atestado de seu colega secretário de Infraestrutura que eu tinha em mãos que afirmava a continuação da obra de ampliação do Hospital Carlos Macieira sem nenhuma alteração desde a licitação em 2014. Vou acionar todos os órgãos de controle, nas esferas federal e estadual para coibir a continuação dessa atividade criminosa.
Por Andrea Murad (Facebook)

Nenhum Comentário

  1. eis a expressão adequada Bonitinha mas orbinária

  2. digo ordinaria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *