Mulher capa marido após saber que ele tentou estuprar sua filha de 6 anos

Uma mulher de 24 anos, tomada pela ira cortou o órgão genital do companheiro na noite de segunda-feira, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado de Espírito Santo.

Ela ficou revoltada após a filha de seis anos relatar que havia sido abusada sexualmente, na noite do último sábado, pelo padrasto de 26 anos. A família vivia junto há cerca de quatro anos, e a menina é filha do primeiro casamento da mãe.
A jovem tem mais uma menina de dois anos, fruto da segunda união. De acordo com informações da Polícia Civil, no sábado passado, a menina estava com a avó, que é deficiente visual, enquanto a mãe estava na casa de uma amiga. Foi quando o homem retirou a garota da presença da avó e a levou para o quarto, onde tentou manter relações sexuais com ela.
Ao sentir dor, a menina gritou, e o homem teria ameaçado bater na enteada caso ela contasse algo à mãe. Com medo, a criança decidiu revelar o ocorrido para a avó, no início da noite de segunda-feira. No momento em que a mãe da criança chegou do trabalho, ouviu parte da conversa. Foi quando soube do suposto abuso do companheiro. Ela ligou para a Polícia Militar, que a orientou a procurar o Conselho Tutelar. Uma reunião foi marcada para o meio-dia de ontem.
A mãe relatou à polícia que, quando o companheiro, que estava em um bar, voltou para casa por volta das 23 horas, ela não conseguiu esperar e, revoltada, pegou uma faca na cozinha e cortou o pênis do companheiro.
Após o crime, a mulher saiu de casa correndo, levando a filha de seis anos e a mãe. Em seguida ligou para a polícia.
O homem foi levado para Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro, onde passou por uma cirurgia de duas horas para reconstrução do órgão e permanece em recuperação.
Exames Segundo o delegado Guilherme Eugênio, a menina passará por exame de conjunção carnal e, caso seja comprovado que houve o abuso, o padrasto responderá processo por crime de violência sexual contra menor, mas em liberdade, pois não houve flagrante.
Já a mãe foi levada para a prisão feminina e vai responder por crime de lesão grave, podendo pegar de um a cinco anos de prisão.
Fonte: Mundo Urgente

Nenhum Comentário

  1. Ñ gostei pq a mulher foi presa.

  2. Triste essa notícia, pois a mãe tenta defender a filha de uma vagabundo e ainda é presa, só no Brasil mesmo.

  3. O vagabundo comete crime grave e vai responder em liberdade e a mãe que desempenhou muito bem seu papel de mãe pode ficar até 05 anos na cadeia. ABSURDO.

  4. E horrivel isso. O criminoso solto e a vitima presa. Issso é que é justiça boa. Uma piada isso

  5. Agora isso é palhaçada msm. O criminoso deve ficar solto e a vítima (mãe da criança) presa.. Isso pq ela é pobre…. Meu repúdio a esta injustiça e a esta lei idiota

  6. A Policia Militar deveria ter dito para mãe ir imediatamente na delegacia da queixa do marido, e eles teriam por obrigação encaminha-la a criança para ao IML para fazer exame. A orientação que foi errada.

  7. Que injustiça com essa pobre mãe?

  8. Isso é aqui no Brasil pós o Brasil é um país sem lei

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!