Responsável por não renúncia de Michel Temer, Sarney disse: “renasce a esperança”

Em artigo publicado no dia 29 de maio do ano passado, José Sarney afirmou: “com Michel Temer renasce a esperança”. Sarney profetizou que o Brasil viveria uma reconstrução com a recuperação da economia e a solução dos problemas sociais – as crises da educação, da saúde, da segurança.
Passou-se um ano e o aliado de Sarney enfrenta uma crise de corrupção, além do caos administrativo no governo.
Segundo reportagem do jornal O Globo, o presidente Michel Temer deu aval para que repasses de dinheiro fossem feitos para comprar o silêncio do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Um ex-assessor de Temer, o atual deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), aparece em imagens gravadas pela Polícia Federal recebendo uma mala com 500.000 reais. Com o escândalo, a população e a classe política passou a pedir a saída de Temer.
Como uma das pessoas de confiança e mais próximas de Michel Temer, Sarney foi chamado hoje (18) à tarde no Palácio do Planalto para aconselhar Temer em meio ao escândalo das gravações da JBS. Sarney foi decisivo e pediu para que o amigo não renunciasse. Ou seja, Sarney é o principal responsável pela permanência de Temer.
Há poucos dias, alheios à insatisfação popular, Michel Temer e José Sarney também estiveram juntos. Os dois se congratularam na festa de comemoração ao aniversário de 87 anos do oligarca maranhense. Temer foi o convidado de honra.
Aliás, vale lembrar, a ex-governadora Roseana Sarney também é uma aliada fiel do presidente. Passou uma temporada em Brasília em almoços e jantares com Temer. Ela, inclusive, ajudou o presidente com a proposta da reforma da Previdência encaminhada ao Congresso.
A família Sarney defende o governo Michel Temer por uma questão de sobrevivência política – além da amizade, está os interesses pessoais do clã, como a eleição do Maranhão. Com Temer caindo, desmorona também o grupo Sarney. É uma questão de sobrevivência política.
Outra declaração, desta vez na semana passada do ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), não poderia cair pior em meio ao iminente afastamento do presidente Michel Temer. Na última sexta-feira (12), durante evento em uma fazenda de soja, no município de Buriticupu, Zequinha chamou a gestão Temer de “governo da salvação nacional”.
Só que ao invés de salvar o país, é Temer, Sarney e Cia que precisam de salvação nessa hora, pois correm o risco de serem extintos da política.

Fonte: John Cutrim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *