Maranhão está preparado para atender casos suspeitos de coronavírus, diz Governo

A rede estadual de Saúde está preparada para atender a todos os possíveis casos suspeitos de novo coronavírus no Maranhão. A informação foi reforçada pelo secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, em entrevista coletiva concedida à imprensa na manhã desta segunda-feira (2), no Laboratório Central do Maranhão (Lacen-MA).

Na ocasião, o gestor da Secretaria de Estado da Saúde (SES) atualizou as informações acerca dos casos suspeitos que surgiram na capital maranhense, ressaltando a transparência quanto ao trabalho que vem sendo realizado e acrescentou que o resultado do exame do único caso que vem sendo monitorado pode sair ainda nesta segunda-feira.

Sobre os casos suspeitos que surgiram em São Luís nos últimos dias, o secretário confirmou que apenas um caso segue sendo monitorado, considerando que a outra suspeita foi descartada, mediante negativa dos exames realizados. O gestor ressaltou que, para manter a população informada, a Secretaria de Estado da Saúde emitirá boletins diários para atualização dos casos e discorreu, ainda, sobre o plano de contingência elaborado segundo orientações do Ministério da Saúde.  

“Estamos tomando todas as providências necessárias e previstas pelo plano de contingência. Vale ressaltar também a transparência que vem sendo dada ao trabalho que está sendo realizado e os esforços da gestão em agilizar os resultados dos exames, adiantando resultados que estavam previstos para sair em uma semana. Queremos tranquilizar a população e garantir a todos que estamos preparados para eventuais casos que possam chegar ao estado”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Para lidar com os casos suspeitos da doença, as unidades de saúde adotam as ações do plano de contingência, que foi elaborado para responder às necessidades locais para minimizar o avanço da doença, caso haja introdução do vírus no estado. As ações definidas pelo plano orientam os serviços de saúde da rede estadual, que está preparada para o atendimento e em conformidade com as diretrizes nacionais propostas pela Secretaria de Vigilância em Saúde/Ministério da Saúde – SVS/MS.

Também participaram da entrevista coletiva o diretor do Laboratório Central do Maranhão (Lacen-MA), Luiz Fernando Ramos; a secretária adjunta da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Waldeise Pereira; a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Léa Márcia; o secretário municipal de Saúde de São Luís, Lula Fylho; e a médica infectologista Giselle Boumann.

A superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Léa Márcia, destacou que um seminário está sendo planejado para reforçar o alinhamento entre os profissionais das unidades de saúde. “Temos um plano de contingência que está sendo colocado em prática. A fim de reforçar o alinhamento das ações, pretendemos reunir os profissionais e, assim, assegurar que os procedimentos necessários sejam tomados”, enfatizou a superintendente.

Cenário

Ainda não há circulação do vírus em território nacional. Existem dois casos confirmados em São Paulo, com local de infecção na Itália. Os casos não possuem vínculo entre si e foram identificados em unidade de saúde privada. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), foram confirmados 85.403 casos em todo o mundo. Destes, 2% (1.753) são casos novos. Atualmente, o coronavírus está confirmado em 54 países. 

Foram registrados 2.924 óbitos, representando uma letalidade global de 3,4%. No continente Americano, são quatro países com casos confirmados, sendo eles: Estados Unidos da América: 62 casos, sendo 3 novos; Canadá: 14, sendo 3 novos; México: 2 casos e Brasil: 2 casos, sendo 1 novo.

Durante a coletiva, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, demonstrou preocupação com o cenário mundial, especialmente nos Estados Unidos. “Aqui no Brasil temos o Sistema Único de Saúde, que permite que os usuários tenham acesso gratuito aos serviços. Nos Estados Unidos a situação é bem diferente. Grande parte da população norte americana não tem condições de arcar com os custos com exames, internações e demais serviços, o que pode gerar um grande número de subnotificações das pessoas que podem ter a doença, mas não têm condições de financiar o atendimento médico”, disse o secretário.

Histórico

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) segue com o monitoramento diário do único caso suspeito de coronavírus no Maranhão. A jovem, de 21 anos, deu entrada na UPA Itaqui-Bacanga, na última sexta-feira (28), com histórico de viagem para Tóquio e Wakayama (Japão). Na ocasião, a paciente apresentou temperatura de 37º, tosse seca, dispneia, entre outros sinais e sintomas. A paciente teve alta no sábado (29), após o monitoramento do caso, bem como todas as ações e medidas dos protocolos do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A jovem está em isolamento domiciliar, apresenta boa evolução, sem febre ou tosse e aguarda resultado dos exames que podem sair ainda nesta segunda-feira (2). A análise da amostra laboratorial está em curso desde sábado (29), quando o Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (LACEN-MA) enviou a coleta da amostra para exame, conforme protocolo, para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. 

Também na sexta-feira (28), outro caso suspeito havia sido notificado, mas foi descartado com a confirmação dos exames positivos para Influenza A. A paciente foi transferida para o Hospital Dr. Carlos Macieira, onde segue recebendo os cuidados médicos necessários e aguarda melhora do quadro clínico para receber alta.

Prevenção 

Diante do cenário mundial e da atenção voltada para as doenças respiratórias, é necessário que a população amplie os cuidados. O Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas. 

“Os cuidados básicos são os mesmos para a prevenção de outros tipos de doenças respiratórias. O contágio é realizado através do contato das mucosas do nariz, boca e olhos com a secreção de pessoas infectadas, então é importante que as pessoas tenham cuidados com a higienização das mãos, que acaba sendo a principal maneira de prevenir essas infecções”, destaca a infectologista do Hospital Dr. Carlos Macieira, Giselle Boumann.

Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!