Zé Francisco vai destruir o sonho de 370 crianças por causa de picuinha com Nagib

Já tá passando da hora de Dr. Zé Francisco descer do palanque político. O novo prefeito de Codó precisa entender que as eleições acabaram no dia 15 de novembro e o município precisa que seu governo tome ações eficientes e pare de picuinha com o ex-prefeito Francisco Nagib.

Foi exatamente por causa dessa implicância com Nagib que Zé Francisco decidiu arrumar falsos argumentos para não iniciar as aulas da Escola Liceu Codoense Nagib Buzar. A decisão do prefeito vai destruir o sonho de 370 crianças, que foram sorteadas no último dia 29 de dezembro e estavam na expectativa do começo do ano letivo.

Não é possível que Zé Francisco continue culpando a administração passada por causa de sua incapacidade administrativa, que já ficou comprovada após quase uma semana de governo e nenhuma ação efetiva.

Agora é aguardar pra saber se o prefeito terá mesmo coragem de acabar com os sonhos de quase 400 crianças e suas respectivas famílias.

16 Comentários

  1. GOVERNO DE INCOMPETENTES.

  2. Isso e coisa de zé mané. vai ser pior que o zé dos pobre. mais não poderia ser diferente, apadrinhado com o ladrão de medicamentos, destruidor do SAAE, e Pedro Feio(não cheira e nem fede), não pode dá boa coisa. Ele não tá pensando no povo. Desce do Palanque, Zé Mané.

  3. Não dá pra acreditar e nem aceitar isso. O povo de Codó não é mais massa de manipulação, não vamos cruzar os braços e deixar fazerem merda na nossa cidade. Se virem, disseram que davam conta, pois agora se virem. Se não, não vamos esperar nem os quatro anos. Os políticos que se cuidem, agora com as redes sociais o povo está atento e participando com paixão, defendendo seus direitos com unhas e dentes. Essa galera da bolão que tá pensando que vai ter paz pra roubar, rum esses é que se cuidem. O povo já sabe muito bem os canais para denunciar e entregar de bandeja os corruptos de plantão.
    Mas vamos ter fé que algo de bom saia desse famoso grupão.

  4. Seu Riba e Caridade, dois derrotados..kkkk…Tem é que derrubar essa porra, isso é uma obra faraônica sem pé e sem cabeça, usada apenas pra nos roubar. 8 milhões pra reforma, depois mais 15 milhões de bikes e tablets….total 23 milhões, sendo que a escola tem que ser totalmente equipada, pq lá dentro não tem nada.
    Tá certo Zé Francisco. E aos imbecis citados acima, guenta papai.

  5. Pelas idéias – derrubar uma obra de 8 milhões – e pela escolha vocabular – essa p. – , João comprova não pertence à espécie homo sapiens sapiens.

  6. Alô, ministério público?
    Cadê o Conselho do município?
    Vereadores eleitos?
    A população está esperando resposta.

  7. CARIDADE, foi por isso que estudei, me forme e passei em concurso federal, pra ganhar muito bem, ter bons carros e uma bela casa, justamente pra não ser como vc. Cara enquanto eu tiro onda, tu parece que vai dá um AVC. Tou só de boa vendo vocês estribucharem.

    • Graças a Deus, vc teve oportunidade e através do seu empenho consegui tudo de bom em sua vida. Mas lembre que 90% da população, mesmo se esforçando, lutando, não consegue, uma vida boa como a sua. Então, mesmo.

  8. Será possível que é tão burocrático colocar uma escola pra funcionar ou é falta de vontade, será que os milhões gastos nessa escola vão servir só pra enfeite.

  9. agradeço ao João por haver corrigido meu comentário.

    Para retribuir o favor, corrigirei os dele.

    “A palavra ideia e suas variações não leva mais acento…”

    sujeito composto, verbo no plural: levam;

    “Foi por isso que estudei, me forme e passei…”

    Entende-se que ele quis dizer me formei.

    “Cara enquanto eu tiro onda.”

    Vocativo deve ser separado por vírgula: cara, enquanto eu tiro onda….

    E agora, também tenho o direito de chamar o “funcionário federal” de “ANIMAL”?

  10. P.s.
    tu parece que vai dá um AVC

    tu pareces

    vai dar

    É só trocar por um sinônimo, João.

    Veja: tu pareces que vai sofrer um AVC

    Então, fica: tu pareces que vai dar um AVC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *