Sindicância vai investigar equipe médica do HGM que recusou fazer parto

O diretor clínico do Hospital Geral Municipal (HGM), Dr. Josué Júnior, garantiu que vai abrir uma sindicância para apura as possíveis irregularidades cometidas pela equipe médica que atendeu a gestante Flaviana Figueiredo. Os profissionais teriam se negado a fazer o parto da codoense e uma enfermeira teria dito que ela estaria com “frescura”.

“(…) Nós estamos aqui abrindo um procedimento de sindicância para poder apurar o caso e também garantir o direito de contraditório para a equipe que atendeu essa paciente, essa gestante”, disse o diretor.

Na última quarta-feira (09), a grávida foi levada para o HGM e atendida pela equipe médica de plantão. Eles teriam garantido que a gestante não estava pronta para dar à luz e, mesmo com fortes dores, mandaram ela retornar para casa.

Após o diagnóstico errado, uma enfermeira teria tido que a mulher não poderia ir pra casa naquela situação e pediu que elas entrassem novamente no hospital. Foi neste momento que uma outra profissional teria dito que a gestante estava com “frescura”.

“A enfermeira que mandou a gente pra casa não quis atender e ainda que minha filha tava com frescura, fazendo escândalo e que na hora que ela fez a menina ela não tava com frescura e fazendo escândalo daquele jeito”, disse a avó da criança.

O diretor do hospital garantiu que os profissionais serão punidos caso a denúncia seja comprovada. No entanto, não revelou que tipo de penalidade eles poderão sofrer.

“Confirmado as denúncias, podem ter certeza, toda a sociedade, que nós iremos promover as sanções que o caso requer, que essa é a solicitação feita pela prefeitura, feita pelo prefeito municipal”, garantiu.

A codoense só conseguiu dar à luz após ser levada às pressas para o Hospital Regional de Timbiras (HRT). A gestante entrou imediatamente em trabalho de parto assim que chegou no local e por muito pouco a bebê não morreu. A criança estava com o rostinho roxo devido ao tempo excessivo que esperou para nascer.

Ouça o que disse o diretor:

4 Comentários

  1. esse nao e o primeiro caso n. a esposa de meu primo foi ao hospital ja com dilatação e fortes dores, chegando ao hospital mandaram a mesma ir para casa. ai meu primo pegou sua mulher e levou as precas para timbiras onde assim que chegou la ja foi tendo o seu bebe

  2. Ainda tem gente que diz que a saúde de Codó tá ? por cento não sei aonde

  3. Ainda tem gente que diz que a saúde de Codó tá ? por cento não sei aonde é pôr isso que eu tive minhas filhas lá em Caxias

  4. Tem que meter processos administrativo e penal por negligência desses incompentes que se dizem profissional querendo matar os pacientes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *