Na contramão da crise, Codó registra ótimo desempenho na geração de empregos durante a pandemia

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta segunda-feira (29) pelo Ministério da Economia, a crise provocada pelo novo coronavírus levou ao fechamento de 1,487 milhão de vagas de empregos com carteira assinada no Brasil, entre março, quando foi registrado o primeiro caso de covid-19 no país, e maio.

Na contramão da crise, o município de Codó obteve ótimo desempenho na geração de empregos durante a pandemia. Os números do Caged mostram que o saldo líquido entre a abertura e o fechamento de vagas foi positivo em 156 empregos formais.

Setores

O bom resultado durante a pandemia foi puxado pelo setor da indústria, que gerou 64 postos formais, seguido pela construção, que abriu 56 vagas de trabalho. Também tiveram saldo positivo o comércio (22 postos), serviços (12) e agropecuária (2 postos).

Maranhão

O Maranhão é o estado nordestino que teve a menor perda de empregos com carteira assinada durante a pandemia do coronavírus. Isso vale tanto para o acumulado do ano quanto no mês de maio. A perda foi de 1.238 empregos formais em maio e 5.383 no acumulado do ano.

Com o resultado, o Maranhão registrou a menor queda em todo o Nordeste, que perdeu 50.272 vagas em maio e 248.635 no acumulado do ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *