Mulher morre no HGM de Codó com sintomas do novo coronavírus

Uma mulher de 55 anos com sintomas do novo coronavírus morreu no final da tarde do último sábado (28), no Hospital Geral Municipal (HGM) de Codó, no interior do Maranhão. A informação foi confirmada pelo secretário Municipal de Saúde, Suelson Sales.

Segundo Suelson, a paciente deu entrada no hospital na manhã do último sábado (28) apresentando febre, insuficiência respiratória, pressão alta e tosse seca. A mulher morreu por volta das 18h após receber atendimento médico na unidade de saúde.

O secretário informou que a equipe de plantão fez a coleta do material para a realização do exame do Covid-19 e enviou para o Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen-MA). O resultado deve ser divulgado nos próximos dias. 

“Ela é uma paciente com histórico de insuficiência respiratória. Ela era uma paciente que fumava muito, nós abrimos a investigação. Em função desse fumo, do consumo de cigarro, ela contraiu um problema pulmonar. Só que no sábado para o domingo ela chega no hospital por volta de 10h30 da manhã com os sintomas de tosse seca, insuficiência respiratória, pressão alta, um pouco de febre e uma hipoglicemia, ou seja, diabete alta. Rapidamente ela evolui pra óbito (…). Até pelos sintomas nós fizemos a coleta do material pro coronavírus e para o H1N1, que é o mesmo teste, e depois coletamos outro material após o óbito, que é uma questão de protocolo, e a gente encaminhou para o Lacen e vamos aguardar”, explicou Suelson Sales. 

Ainda segundo o secretário, a mulher morava apenas com o esposo e ele está sendo monitorado por uma equipe da saúde. Suelson garantiu que o homem não apresenta os sintomas do novo coronavírus. 

O caso está sendo tratado como suspeito para o Covid-19 até que seja divulgado oficialmente o resultado dos exames.

 

13 Comentários

  1. Era para ter esses testes aqui em Codó, a população tem o direito de saber se tem casos positivos em Codó!!

  2. Governo municipal não é atuante, caso o secretário tivesse se preparado para essa pandemia essa senhora não tinha vindo a óbito. A upa tá pra estourar um também.

  3. Deus queira que esse caso não seja de COVID-19, pois, se for, a população está altamente vulnerável, pois todo dia muito fluxo de pessoas nas ruas. Se vierem a parar, infelizmente só será depois que os casos aparecerem – o que já será tarde.

  4. Enfermagem de Plantao

    Só corrigindo … se a paciente teve hipoglicemia, a “diabetes” esteve baixa, e não alta como mencionado

    Hipoglicemia = níveis baixo de glicose no sangue
    Hiperglicemia= níveis altos de glicose no sangue

    Abraço

  5. Neste caso o mundo não está preparado… Porque está havendo mortes em muitos lugares.. O Brasil, os governantes que são responsáveis pelas mortes ? Porque ele fez a parte dele, pedindo pra todos ficarem em casa. E aí, o povo tá seguindo a ordem? A própria matéria já informa que a paciente já chegou em um estado bem avançado… Então não acho correto colocar a culpa no governo… Temos que ser realista em algumas coisas, Diego Rodrigues… Críticas são fáceis em dizer, agora segui as ordens de proteção são poucos que cumpri.

  6. Antonio Batista Borba Filho

    a senhora chega no HGM dia 28 morre dia 31 sem nenhuma assistência desesperar morrer todos que chegarem no hospital não tem pra onde ir?

  7. Será que investigaram, se essa mulher teve contato com alguém de fora da cidade advindo de outro estado?
    Tudo estão tratando como COVID-19. Tem que ver o histórico dela, não é só ter suspeita, sem antes de uma investigação de saúde, ou seja, todo um contexto histórico da senhora.
    Claro, se depois das investigações, constatarem o contato com alguém de fora, pode ser que seja COVID-19.
    Só lembrar do caso do jovem que foi transferido para Timbiras.
    Fizeram um verdadeiro sensacionalismo, estavam para pegar a avó do menino e, crucificar. No final das contas, o exame deu negativo, segundo os parentes dele.
    Estão tirando conclusões precipitadas, sem antes fazer investigações rigorosas.
    Muito me parece que, estão torcendo para ter casos de COVID-19 na cidade.

  8. Será que investigaram, se essa mulher teve contato com alguém de fora da cidade, advindo de outro estado?
    Tudo estão tratando como COVID-19. Tem que ver também, o histórico de saúde dela, ous seja, todo um contexto histórico, não é só ter suspeita.
    Claro, se depois das investigações, constatarem o contato com alguém de fora, pode ser que seja COVID-19.
    Só lembrar do caso do jovem que foi transferido para Timbiras. Estavam para pegar a avó do menino e, crucificar, verdadeira caça às bruxas. Estão tirando conclusões precipitadas, sem fazerem investigações rigorosas. Estão sim, fazendo um verdadeiro sensacionalismo.
    Muito me parece que, estão torcendo para ter casos de COVID-19 na cidade!

  9. Hipoglicemia não é referente diabetes Alta e sim diabetes baixa. Hiperglicemia assim referente a diabetes Alta. Corrige esse erro aí da publicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *