Governo nega demora no atendimento e afirma que a gestante e seus dois filhos chegaram sem vida no HGM

Foi sepultado na manhã desta quarta-feira (22) o corpo da senhora Ednalda Alves da Silva Cunha, a codoense de 42 anos de idade estava gravida de gêmeos e perdeu a vida após complicações em sua gestação na noite desta terça-feira (21), por volta das 21 horas, dentro do Hospital Geral Municipal.

Evangélica e mãe de quatro filhos, a mulher estava muito feliz com a chegada dos filhos e ao mesmo tempo preocupada por estar gravida de gêmeos aos 42 anos. Nessas circunstâncias a gravidez é considerada de alto risco e por esse motivo a gestante teria feito corretamente o acompanhamento do pré-natal na tentativa de evitar que o pior acontecesse.

A família afirma que a Dona Ednalda esteve no HGM na manhã da última segunda-feira para fazer os últimos exames e saber quando deveria acontecer o parto. Mas na noite de ontem a grávida começou a passar mal com o início das contrações que anunciava seu parto. Desesperados os familiares entraram em contato com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, que segundo eles demorou cerca de 30 minutos para enviar uma ambulância ao local. Cientes de que a demora poderia resultar na morte da mãe e seus dois filhos, os parentes conseguiram um carro particular e transportaram a gestante até o hospital do município. Ao chegar no HGM os primeiros atendimentos foram realizados por uma equipe médica do lado de fora da unidade e em seguida a mulher foi levada para dentro do hospital e de lá já saiu sem vida e com os bebês sem vida ainda dentro da barriga da mãe.

“Se aqui tivesse um atendimento de qualidade isso não teria acontecido, se eles (SAMU) tivessem ido na hora que ligamos isso não teria acontecido e ela não teria morrido. Duas crianças e eles não tiveram nem o trabalho de tirar as crianças da barriga dela”, disse uma amiga da família.

Dona Ednalda e suas duas filhas fazendo carinho na barriga da mãe que estava gravida de gêmeos

Nota da prefeitura

A Prefeitura Municipal de Codó, através da Secretaria Municipal de Saúde, lamentou em nota o ocorrido e afirmou que a ambulância estava no local 05 minutos após ter recebido a solicitação de atendimento. O governo assegurou também que tanto a paciente quanto seus dois filhos gêmeos chagaram sem vida ao HGM.

Confira a Nota na integra: