Governo do Maranhão assina protocolo para ampliar uso do gás natural no Estado

O Governo do Maranhão deu um importante passo para viabilizar o fornecimento de gás natural para uso veicular e industrial no Estado, por meio do gás natural liquefeito (GNL). Na manhã desta quinta-feira (13), durante o Fórum Maranhense de Distribuição de Gás Natural, em São Luís, foi assinado o Protocolo de Intenções entre a Companhia Maranhense de Gás (Gasmar) e a empresa Golar Power para o início do projeto.

O vice-governador Carlos Brandão representou o governador Flávio Dino no evento e falou dos benefícios que a ampliação do uso do gás natural a outros segmentos trará para o Estado. “Nós vamos interiorizar o gás não só para atender os pequenos e grandes veículos, mas também para as pequenas e médias empresas. Isso vai garantir uma energia limpa, renovável e mais barata; o que, consequentemente, vai impactar positivamente os investimentos das empresas, gerando mais empregos e renda”, destacou o vice-governador.

O Fórum Maranhense de Distribuição de Gás Natural, que reuniu autoridades, representantes da sociedade civil, empresas e órgãos envolvidos com a exploração do produto, colocou em discussão temas como a distribuição e interiorização do gás natural, a partir do GNL. O diretor-presidente da Gasmar, Deoclides Macedo, ressaltou que, a partir das discussões do Fórum, serão intensificadas as tratativas para a execução do projeto e que, ainda em 2020, o estado já contará com o GNL para uso veicular e industrial.

“O que se propõe hoje, de forma concreta e factível, é a inserção do gás natural de maneira mais ampla na matriz energética maranhense, beneficiando diretamente e de forma decisiva a sociedade. Com isso, conseguiremos melhorar a economia do estado, gerar oportunidades e fazer com que a população maranhense possa perceber, tanto na capital como nas principais regiões do interior, a presença do gás natural como impulsionador do desenvolvimento  do Maranhão”, frisou Macedo.

Porto do Itaqui

Principal porta de entrada e saída da economia do estado, o Porto do Itaqui tem papel fundamental no processo de interiorização do GNL, uma vez que as operações da Gasmar e da Golar Power serão viabilizadas por meio de seus terminais, em face de sua capacidade de comportar contêineres e, a partir desse recebimento, fazer a distribuição de gás para São Luís e outras localidades do Maranhão.

“Nós contamos muito com a infraestrutura do Porto do Itaqui para essa operação”, afirmou o vice-presidente da Golar Power, Marcelo Rodrigues. “Nossa ideia é iniciar a operação em outubro deste ano, trazendo o GNL em nosso navio que está em Sergipe para movimentação de cabotagem no Itaqui”, completou.

O presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, enfatizou que o porto público está preparado para contribuir com esse projeto. “É uma nova carga que vem se incorporar à dinâmica de operações do Itaqui, principalmente em combustíveis, na geração de energia e outras possibilidades. Estamos preparados para movimentar essa nova carga que vem fomentar o crescimento do Itaqui e do nosso estado”, afirmou Ted Lago.

O gás natural liquefeito é usado na indústria, nos transportes, em residências e para geração de energia. Em sua primeira fase, o projeto deve atender o mercado de São Luís, com movimentação no berço 102 do Itaqui e recepção rodoviária ou contêiner via cabotagem. A cabotagem em navio para abastecer contêineres no Itaqui, com ampliação do atendimento para o interior do estado será a partir da segunda fase, quando a operação estiver consolidada, em 2021.

Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!