Flávio Dino e Nagib vão ter que encarar grande movimento de estudantes nesta segunda-feira

Com o intuito de reivindicar direitos básicos ao ensino na Universidade Federal do Maranhão – Campus Codó, estudantes universitários estão organizando um grande movimento para chamar a atenção das autoridades municipais e estaduais que estarão participando das festividades comemorativas em alusão aos 122 anos de Codó.

“O movimento teve início no ano de 2015 onde foi levantado algumas pautas que não foram cumpridas pela reitora Nair Portela. Que são, a reforma estrutural do campus como também da residência universitária. O aumento no quadro de professores efetivos do campus, a abertura do restaurante universitário que foi construído e reformado, mas nunca funcionou. O aumento de bolsas de assistência estudantil, o acervo de livros da biblioteca que está escasso, o movimento tem continuidade no dia 16 de abril na praça da prefeitura onde estaremos aguardando as autoridades que estarão em Codó para reivindicar nossos direitos como estudantes”, explicou o universitário Reinaldo Macedo.

Reuniões foram feitas e cartazes confeccionados. O movimento que vai contar com o apoio dos estudantes do IFMA e UEMA, terá início na Praça do Cinema e será finalizado na praça Ferreira Bayma. Tudo indica que as autoridades presentes não terão sossego nesta segunda-feira de festa em Codó.

“Pretendemos que essa universidade tenha uma manutenção periódica e exigimos a implementação de outros cursos de graduação pensando no desenvolvimento intelectual e econômico da cidade”, finalizou Reinaldo.

1 Comentário

  1. Acredito que toda manifestação no sentido de reivindicar por melhoria é válida. Contudo, essa da UFMA não encontra-se bem fundamentada, tendo em vista que os benefícios reivindicados são de responsabilidades da própria universidade que é federal e não do prefeito e do governador. Já no caso da UEMA o movimento tem um alicerce mais consistente já que ela é estadual e de inteira responsabilidade do governador do Maranhão e que há tempos passa por sérios problemas, desde uma reforma predial(em 07 anos de funcionamento o prédio nunca passou por reforma) a realização de concurso público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!