Escola Liceu Codoense Nagib Buzar está aberta a visitas da população

Escola Liceu Codoense Nagib Buzar (Fábrica de Sonhos) está aberta para visitas da população. No prédio restaurado da antiga fábrica manufatureira é possível conhecer toda a nova escola pública municipal, incluindo o auditório, a biblioteca e o memorial, onde existem fotos e objetos antigos, além de algumas autobiografias.

Uma das autobiografias expostas que chamou a atenção do público foi a do vice-prefeito, Ricardo Torres, por trazer várias informações sobre a relação de sua família com a antiga indústria de tecido, bem como várias outras famílias codoenses também têm muitas histórias parecidas para contar.

O Liceu está aberto a visitas de segunda a sexta-feira, das 08 às 12h e das 14 às 17h. Obrigatório uso de máscaras. Na entrada do prédio há álcool em gel disponível para os visitantes que podem deixar sua assinatura no livro de registro do memorial.

Veja uma das autobiografias expostas na Escola Liceu Codoense Nagib Buzar:

Eu, Ricardo Araújo Torres,nasci nesta Cidade de Codó, Estado do Maranhão, em 09 de março de 1976. Sou advogado desde dezembro do ano 2000.Tive a honra de ser eleito por meus conterrâneos ao cargo de vice-prefeito (mandato de 2017 a 2020), em chapa majoritária formada com o prefeito Francisco Nagib Buzar de Oliveira, nas eleiçõesrealizadas em02 de outubro de 2016, indicado à composição partidária pelo ex-prefeito e atual deputado estadual Zito Rolim (José Rolim Filho).

No Município de Codó/MA, minha terra natal, vivi intensamente as experiências de exercer, por vezes cumulativamente, os relevantes cargos de: Secretário de Educação (junho/2019 a abril de 2020); Secretário de Saúde (abril/2014 a abril/2016; Secretário de Governo (janeiro/2009 a abril/2016); e Procurador-Geral do Município (janeiro/2009 a dezembro/2012). Presidi o tradicional Rotary Club da Cidade (2011/2012). Em maio de 2020, fui designado pelo prefeito para coordenar o Comitê de Gestão da Crise gerada pela pandemia de Covid-19 no Município.

No multicentenário Município de São Lourenço da Mata, Estado de Pernambuco, exerci, como muita honra, o distinto cargo de Procurador-Geral de março/2001 a dezembro/2008.

No também pernambucano Município de Paulista, fui assessor (janeiro/1999 a dezembro/2000) na Secretaria de Assuntos Jurídicos, onde tive meu primeiro contato com o serviço público,na funçãode estagiário de direito (agosto/1996 a dezembro/1999).

Soufilho de Eliana Araújo Torres, artista plástica amadora que pintou em telas o prédio deste Liceu Codoense Nagib Buzar, quando ainda em ruínas, misturando suas memórias com fotografias. Sou neto de José Alves Torres, que trabalhouneste localcomo almoxarife, quando funcionava a antiga Companhia Manufatureira e Agrícola de Codó. Sou bisneto do casal Domingas Araújo Silva, uma das tecelãs encarregadas da produçãodo tecido cru, comercializado em várias regiões do país, e Maximiano Ricardo Silva, incumbidode manter sem falta o combustível para o funcionamento das máquinas fabris, todas a vapor.

Como a minha, inúmeras são as famílias codoenses que possuem saudosas memórias de antepassados que escreveram, juntamente com esta antiga fábrica, alguns dos primeiros capítulos de nossa história.

Eu moreidurante toda minha infância e adolescência ao lado deste prédio, vendo sua progressiva degradação, ao tempo em que ouvia histórias de seu tempo de exuberância, glória e desenvolvimento;mas também ouvi muitas estórias fantásticas sobre a alma penada de João Ribeiro, primeiro diretor desta primeira Indústria de Codó; ou sobre uma cobra gigante, que morava dentro da chaminé.

Muitos codoenses e não codoenses, para citar o título da obra ainda não publicada do Professor Carlos Gomesda Silva, sonhavam com a recuperação deste belo prédio há mais de 50 anos, atribuindo-lhe utilidade novamente. Também eu alimentava este ousado sonho.

Carrego comigo a sensação de dever cumprido.Algo que não se compra.Pela oportunidade de ter contribuído, de algum modo,com a realização desse sonho compartilhado por todos que amam Codó.

Principalmente quando esta restauração se dá pela educação e para a educação. Criando, no coração da Cidade, um lugar de oportunidades, sobretudo para os que mais precisam.

Aproveito a legitimidade do mandato popular paraexpressar, em nome da população codoense, e em meu próprio, a mais pura gratidão a todos que, de qualquer forma e a seu modo, contribuíram com este ato de fé na força de nossa gente, esperança em um futuro melhor e amor ao próximo, seja com o assentamento de um tijolo, seja como uma decisão política. Que Deus lhes devolva tudo em dobro.

Que Deus abençoe a todos os alunos, profissionais de educação, auxiliares e a todos os visitantes desta belíssima escola pública, fazendo deste lugar um templo da educação.

Dedico este texto à minha linda esposa, Suelen dos Santos França, e aos meus filhos Letícia, Marco Aurélio, Heloísa Valentina e João Ricardo, rogando para que aprendam a ser úteis à comunidade, seja qual for a profissão que vierem a abraçar.

Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *