Em 4 anos, Maranhão avança com professores qualificados, estudantes protagonistas e melhoria das escolas

“Eu sempre tive sonhos e um deles era ver essa escola do jeito que ela está hoje”. A fala é da estudante Carla Beatriz, presidente do grêmio do Centro de Ensino Prof. Carlos Alberto Monteiro de Macedo, no município de Lajeado Novo, na região Tocantina, que foi totalmente reconstruído pelo Governo do Estado e entregue no primeiro semestre deste ano.

A escola de Carla Beatriz faz parte dos mais de 820 equipamentos de educação que foram reformados, construídos ou revitalizados pelo Governo do Estado, por intermédio das Secretarias de Estado da Educação (Seduc) e de Infraestrutura (Sinfra) de 2015 até aqui, como um dos eixos estratégicos do Programa Escola Digna.

Mas não foram apenas os espaços escolares que receberam melhorias, o Estado realizou o maior número de formações de sua história. Mais de 84 mil professores do Maranhão participaram das formações ofertadas ou coordenadas pela Seduc. Ao todo, 125 municípios participaram da formação do Programa Escola Digna. As formações alcançaram gestores, profissionais da EJA, indígenas, educação do campo, quilombola e especial.

Estudante Carla Beatriz e o governador Flávio Dino

Outro dado importante é que, em regime de colaboração, 4.760 escolas municipais receberam apoio da Seduc na elaboração de seus projetos políticos pedagógicos e 28 mil cadernos de formação foram entregues às redes de ensino dos municípios maranhenses.

“O trabalho dos últimos quatro anos impulsionou a educação maranhense com avanços significativos: escolas construídas e reformadas; milhares de novos estudantes em tempo integral; centenas de professores e gestores em formação continuada; melhor índice de aprovação na história da rede pública estadual; confirmação do melhor salário do magistério no Brasil e tantas outras ações, que ratificam o Programa Escola Digna como a verdadeira revolução na educação do Maranhão. Sem retroceder, vamos caminhar para o crescimento do IDEB [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica] e, certamente, num futuro bem próximo, colocar nosso Estado no patamar que seu potencial condiz, de uma das melhores redes públicas do País”, enfatizou o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.

Educação Integral

De acordo com o secretário Felipe Camarão, outro marco foi a implementação da educação integral no Maranhão. “Saímos do zero, em 2014, para mais de 40 escolas de tempo integral, entre os IEMAs e os Centros Educa Mais que oferecem um ensino diferenciado focado no protagonismo juvenil e no projeto de vida. Isso representa a formação de jovens capazes de caminharem sozinhos. Hoje, já são mais de 13 mil estudantes em regime de Ensino Integral”, informou.

Estudante protagonista

Escola Digna de Lima Campos

Em 2016, a Seduc iniciou uma série de avanços em transparência ativa, envolvendo, sobretudo, a comunidade escolar, sendo destaque em premiações de âmbito nacional e estadual. No Concurso Nacional de Boas Práticas da Rede de Ouvidorias, do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), a Ouvidoria da Seduc foi ouro com o projeto ‘Minha EscolaAPP’, na categoria ‘Estratégias Inovadoras de Participação Social para Aprimoramento e/ou Simplificação da Gestão’; e o Projeto Jovem Ouvidor, medalha de prata, na categoria ‘Estratégias Inovadoras para Engajamento da Sociedade Civil junto às Ouvidorias’. No Maranhão, o Minha EscolaAPP, também, ganhou o 1° lugar no premiação ‘Boas Práticas de Ouvidoria’, realizado pela Secretaria de Estado de Transparência e Controle (STC). Vale lembrar que, no ano passado, foi entregue medalha de bronze no Concurso Nacional de Boas Práticas da Rede de Ouvidorias com o projeto ‘Conversando com a Escola’.

O ‘Conversando com a Escola’ possibilita a participação da comunidade escolar na gestão pública, contribuindo com a formação cidadã dos estudantes da rede estadual de ensino e no processo de melhoria da qualidade da educação. O ‘Jovem Ouvidor’ estimula a participação de alunos do ensino médio em ações de escuta cidadã, fortalecendo o protagonismo estudantil nas escolas da rede pública estadual.

A Seduc também criou o ‘Minha EscolApp’, aplicativo desenvolvido para que os estudantes tenham acesso a informações como: notas, recursos para a escola, nota do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Pelo app, eles também podem avaliar a merenda, as aulas, infraestrutura, didática, dar sugestões de como melhorar a escola e receber todas as informações sobre os projetos de interesse do estudante.

Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!