Decretada a prisão de mulher suspeita de matar e esconder o corpo do companheiro em Codó

Marina Paixão e Preto Rocha (foto: redes sociais)

O delegado Rômulo Vasconcelos concedeu entrevista a repórter Emanuela Carvalho e revelou que a justiça decretou a prisão preventiva de Marina Paixão Salazar (veja o documento no final da matéria). Ela é suspeita de matar e esconder o corpo de seu companheiro, um homem identificado como Antônio Francisco Guimarães de Pinho, popularmente conhecido como Preto Rocha, de 35 anos. Ele está desaparecido há cerca de 70 dias, desde o dia 1° de março.

As investigações apontaram que Marina Paixão mudou a versão sobre o sumiço de Preto Rocha várias vezes e vendeu a moto que ela afirmava que ele teria usado para sair de casa. A polícia também descobriu que a conta bancária do homem não foi mais movimentada desde que ele sumiu. Rômulo Vasconcelos acredita que ela tenha matado o companheiro após uma briga entre eles e escondido o corpo com a ajuda de outra pessoa. O delegado afirmou que a mulher será indiciada por homicídio.

Entenda o caso

Em Boletim de Ocorrência registrado na 4ª Delegacia de Polícia Civil de Codó, a irmã de Preto Rocha disse que já procurou por ele várias vezes na casa de Marina Paixão, e que ela teria afirmando que o desaparecido está “viajando” para a zona rural do município. No entanto, a mulher muda a versão com frequência e se recusa a entregar os documentos pessoais da vítima para os familiares.

A irmã da vítima também contou que vizinhos do casal disseram que antes dele desaparecer teria tido uma briga com sua companheira e que ouviram ele aos gritos pedindo socorro e água. Ele também teria tido: “vocês me acertaram”. Deste então, Preto Rocha não foi mais visto por amigos e familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.