Bira destaca preocupação e repudia primeiras medidas anunciadas por Bolsonaro

Da tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado estadual e deputado federal eleito Bira do Pindaré (PSB) voltou a destacar preocupação com o perfil do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL) e suas primeiras medidas tomadas. Segundo o parlamentar, os primeiros anúncios já demonstram, claramente, que “a irresponsabilidade deve ser uma das marcas da gestão que ele assumirá em 1° de janeiro”.

Como exemplo, citou a fusão entre o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério da Agricultura. “É a raposa cuidando do galinheiro”, disse. Para o socialista, algo impossível de dar certo e que trará prejuízos imensos, inclusive para o agronegócio, visto que o mercado internacional não aceitará os produtos brasileiros em razão da mácula de não ter o respeito aos princípios básicos de preservação do meio ambiente.

“Os próprios empresários do setor deveriam reagir contra isso, porque é uma medida que causa um retrocesso monstruoso em relação à política ambiental em nosso país. De maneira que nós estaremos vigilantes. Várias pessoas já se manifestaram alertando para gravidade dessa decisão. Mas eu, particularmente, confesso a vocês que não esperava outra coisa que não fosse esse tipo de situação. E, pior, isso é só o começo. O que vem por aí é muito mais grave”, alertou.

Neste sentido, Bira destacou que acredita que a maioria dos eleitores de Bolsonaro se arrependerá muito antes do imaginado, porque, segundo ele, “é um projeto que nasce morto, que não tem perspectiva e que não oferece nenhuma garantia de solução para os problemas que mais afetam a nossa população”.

“A nossa população está carente é de empregos, de trabalho, de educação pública, gratuita e de qualidade, de saúde e segurança. E o presidente vai marchar na contramão de tudo isso. Se depender deles, a educação pública vai ser toda privatizada, não vai ter mais FIES, não vai ter mais PROUNI, não vai ter mais cotas para a população menos favorecida. Vão desmontar tudo que se conquistou de direito ao longo desse tempo”, pontuou.

Assecom/ Dep. Bira do Pindaré

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *