Barraqueiros estão proibidos de vender caipirinha e cerveja em garrafa no arraial de Codó

A mais famosa bebida brasileira, A CAIPIRINHA, teve a sua venda proibida nas barracas que foram montadas dentro do espaço onde está acontecendo o 1º festejo junino MAIS CULTURA, MAIS ALEGRIA, que começou nesta quarta-feira (05) e terminará no próximo domingo (09). A decisão partiu da Prefeitura Municipal de Codó e também vale para as cervejas em garrafas.
A proibição não agradou os barraqueiros, pois eles argumentam que a venda da caipirinha era uma forma de aumentar os rendimentos e nunca teve sua venda suspensa em eventos públicos realizados na história de Codó.
“Eu nunca tinha visto uma situação dessa nesses mais de 10 anos que trabalho com venda de bebidas e comidas nos eventos da prefeitura. A caipirinha nunca atrapalhou a venda de cerveja, pois muita gente prefere a cerveja e outros preferem a caipirinha. Infelizmente não esperamos um bom resultado nas vendas com essa decisão da prefeitura”, disse uma “barraqueira” que não quis se identificar.
A determinação da prefeitura em também proibir a venda de cerveja em garrafas foi outra grande surpresa desagradável, pois a sua comercialização sempre foi autorizada nos arraiais que oficialmente foram realizados por outras administrações.
Os barraqueiros também reclamam que a marca de cerveja escolhida pela organização para ser vendida no local não é apreciada pelos codoenses, a bebida é vendida em pequenas latinhas de 269 ml por incríveis R$ 10,00 (três unidades).
“Como se não bastasse ter proibido a gente de vender cerveja em garrafa e caipirinha, ainda botam uma marca de cerveja que ninguém gosta pra gente vender três latinhas por R$ 10. Até agora só vendi três latinhas e dificilmente vou vender mais que isso”, lamentou outro vendedor.
Fotografia tirada às 10 da noite mostra o fraco movimento nas barracas do 1º festejo junino MAIS CULTURA, MAIS ALEGRIA
A marca de cerveja vendida no primeiro arraial organizado pelo prefeito Francisco Nagib é a mesma que foi vendida no carnaval deste ano, na época os barraqueiros também reclamaram de vendas muito abaixo do que eram registradas em anos anteriores.

Nenhum Comentário

  1. Pior arraial que já vi na vida. Pior cerveja, atrações não muito boas… So tomamos prejuízo. Sem falar da nao disponibilização de freezer para os barraqueiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *