Aplicativo mostra que metade dos pré-candidatos ao governo do Maranhão respondem processos na justiça

Um aplicativo lançado na semana passada pelo Instituto Reclame aqui e pela agência de publicidade Grey permite ao leitor verificar se políticos que cumprem mandato no Congresso ou no Executivo foram condenados ou respondem a processos na Justiça. Desta fora que ficou mais fácil “puxar a ficha” dos potenciais deputados, senadores e até presidentes.

Através do “Detector de Corrupção” qualquer pessoa pode tomar acessar os dados de um determinado político. A pesquisa é feita por meio de uma simples identificação facial ou pesquisa por nome.

Disponível para Android e Iphone, o aplicativo já conta com 850 políticos cadastrados entre membros da presidência, senado e governos. Até agosto, a ferramenta incluirá todos os candidatos a cargos em disputa nestas eleições.

Flávio Dino e Roseana Sarney

O blog do Marco Silva fez um levantamento dos principais pré-candidatos ao governo do Maranhão e descobriu que metade deles respondem a processos na justiça.

Segundo o aplicativo, não existe processos de corrupção ou improbidade administrativa contra o governador Flávio Dino. Já a ex-governadora Roseana Sarney é investigada por inquérito policial que apura possível crime de falsidade ideológica na época da veiculação de informes publicitários do Governo do maranhão, entre 2 de junho de 1997 e 2 de julho de 1997, além de improbidade administrativa.

Outros pré-candidatos

Os pré-candidatos Eduardo Braide e Maura Jorge também aparecem sem nenhuma condenação ou processo na justiça. No entanto o aplicativo mostra que os postulantes ao governo Roberto Rocha e Ricardo Murad estão com a “ficha suja”.

Roberto Rocha é alvo de inquérito do Ministério Público Federal, investigado por crimes eleitorais. O processo agora tramita no STF, nas mãos do ministro Luís Roberto Barroso.

Já o ex-deputado estadual Ricardo Murad responde a três processos na justiça, dois por improbidade administrativa e uma ação penal (acusado de ser o colaborador no esquema de desvio de R$ 57 milhões da saúde do Maranhão). Veja abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!