Grupo de bumba-meu-boi realiza manifesto na Câmara exigindo apoio cultural para o festejo junino

Nunca na história de Codó a cultura foi tão desvalorizada como vem acontecendo no governo do prefeito Francisco Nagib. Atualmente a prefeitura tem se negado a ajudar os artistas da terra e estão sendo obrigados a retirar dinheiro do seu próprio bolso para conseguirem mostrar o seu trabalho.
Os grupos culturais que tradicionalmente se apresentam nos festejos juninos, por exemplo, estão extremamente decepcionados com o atual gestor codoense, pois os donos de grupos de bumba-meu-boi, maculelê, tambor de crioula e rodas de capoeira, ainda não teriam recebido qualquer sinalização por parte do governo de ajuda financeira. Os únicos que já se reuniram com Francisco Nagib, foram os representantes das quadrilhas juninas que receberam do prefeito uma motocicleta que deverá ser leiloada e o dinheiro dividido igualmente entre eles.
Manifesto na Câmara
Na última segunda-feira (29) integrantes do bumba-meu-boi estrelas codoenses, estiveram realizando um pequeno manifesto durante a sessão da Câmara Municipal de Codó, com o objetivo de exigir que o prefeito Francisco Nagib faça o repasse o incentivo cultural para os grupos culturais.
“Esse manifesto estamos fazendo porque procuramos um vereador para que ele faça uma indicação, solicitando que o incentivo que vem o estado e governo federal seja repassado para os grupos culturais, não somente para nosso grupo de bumba-boi, mas para todos os grupos culturais que esse ano estão padecendo em relação ao São João”, afirmou Lucinete Vianna – presidente do bumba-meu-boi estrelas codoenses.
Palavra do governo
Entramos em contato com o diretor do departamento municipal de cultura, Augusto Serra, que nos explicou o que de fato estaria acontecendo. Segundo ele, a maioria dos grupos culturais ainda não apresentaram seus projetos confirmando suas apresentações no festejo junino, consequentemente não foi feita a confirmação desse pedido.
O secretário informou ainda que esse é um procedimento padrão existente desde o governo passado e primordial para que o processo de ajuda financeira seja feito dentro do que determina a lei.