09 – FATOS E PERSONAGENS QUE ENALTECEM A HISTÓRIA DE CODÓ

Continuem lendo sobre o título acima.

  • CASAS LOTÉRICAS EM CODÓ. A 1º Casa lotérica em Codó, foi do Sr. Mário Veiga, que funcionou por muito tempo ao lado da antiga Casa Tupi. Depois surgiu a Casa Lotérica do Sr. José Ribamar Ferreira Lima, (Seu Riba), na Praça do antigo Cinema, junto ao Bar Saci, do Sr. José Béliche.  Paguei contas de água (SAAE), na lotérica do Seu Riba, conforme  talões referentes a maio e junho de 1973, no valor de Cr$ 13,50 cada um.
  • BARBEIROS EM CODÓ. Este profissional cujo ofício é aparar barbas e cortar cabelos. Na cidade de Codó, como em qualquer outra, é grande o número destes profissionais. A partir da década de 60 os mais procurados: José de Ribamar de Sousa, em frente ao Centro Operário, onde também se bebia uma cervejinha bem gelada. O senhor Manoel dos Santos (Manezinho) assim conhecido em toda comunidade codoense, além de ser um bom profissional da área, foi também um grande violonista. Tocava, sempre que convidado, na Igreja Matriz de Santa Rita e Santa Filomena, e em eventos de grande repercussão da cidade. Tempos que não voltam mais!
  • BOUTIQUES EM CODÓ. “Lojas que se dedicam ao comércio de artigos requintados, roupas finas, jóias ou bijuterias nacionais e importadas”. Existiam em nossa cidade as boutiques das Senhoras: Cleonice Medeiros, localizada após a Travessa Miguel Bahury; (Erazan) de Dona Nazaré, localizada onde hoje se encontra a Loja Avenida; Nemésia, situada na Rua César Brandão e a Ele e Ela, de Teresina Alvim e Maria Zaidan localizada na Rua Getulio Vargas. Estas lojas, bastante procuradas, principalmente pelas a senhoras da elite codoense, comprando os artigos acima citados. Aos poucos, esse tipo de comércio foi desaparecendo, até a sua total extinção.  
  • CODÓ SEDE DO GOVERNO DO ESTADO. Em 1996, quando Codó completou 100 anos de emancipação política, foi sede do Governo, pelo período de 16 a 17 de abril de 1996, conforme Decreto N° 14,988, expedido, pela governadora Roseana Sarney, vice José Reinaldo Tavares. Era prefeito de Codó, Biné Figueiredo e presidente da Câmara José Augusto Medeiros da Silva. Este acontecimento foi sem dúvida, um momento de grande relevância para a historia política de Codó.
  • AREMATAÇÂO PÚBLICA DA PASSAGEM DO RIO ITAPECURU. Na gestão do Prefeito Gentil Silva foram assinados vários contratos entre eles, o de arrematação da passagem do Rio Itapecuru. Termo de arrematação pública da passagem do Rio Itapecuru no porto desta cidade, no exercício de 1932, a partir do dia 15 de fevereiro corrente “Aos doze dias do mês de fevereiro de 1932, nesta cidade de Codó, Estado do Maranhão, na Prefeitura Municipal, às quinze horas, presente o Prefeito Municipal, cidadão Gentil Homem da Silva Brasil, compareceu o cidadão Leandro Frazão Corrêa, para assinar o presente contrato de arrematação da passagem pública do rio Itapecuru, no porto desta cidade, com o seu fiador Abdon José Murad, por ter sido aceita sua proposta verbal em hasta pública, de dois contos de réis, R$ 2.000$000, pelo prazo de dez meses e meio, a contar do dia 15 de fevereiro corrente a 31 de dezembro deste ano”.
  • DELIMITANDO BAIRROS DE CODÓ. Conforme Lei N°726, de 04 de julho de 1983, sancionada pelo Prefeito Antonio Joaquim Araújo Filho, foram delimitados os Bairros de Codó. Hoje mencionamos os Bairros São Benedito e Santa Filomena, como segue “ Bairro São Benedito – Tem início na margem esquerda do Rio Itapecuru na altura da Praça do Balão, seguindo pela Rua Henrique até encontrar-se com a Avenida 1º de Maio e Estrada de Ferro São Luís Teresina, daí prossegue pela Estrada de Ferro São Luís Teresina, até às margens do Rio Codosinho, e descendo pelo mesmo até a embocadura no Rio Itapecuru. Da embocadura no Rio Codosinho segue pela margem esquerda do Rio Itapecuru até a altura da praça do Balão, atingindo o ponto inicial da presente descrição. Bairro Santa Filomena – Tem início da desembocadura do Riacho Água-Fria, dando seguimento pela Av. Maranhão, até a Estrada de Ferro São Luís Teresina pela qual prossegue até atingir a Av. Vitorino Freire. Dá pela Av. Vitorino Freire, até à margem esquerda do Rio Itapecuru, Prosseguindo pela mesma até a desembocadura do Riacho Água-Fria, ponto inicial da presente descrição.
  • ADMINISTRAÇÃO PREFEITO JOSÉ RAIMUNDO LAGO. Durante essa administração foram publicadas várias portarias, dentre elas destacamos duas, conservando a ortografia da época “Portaria N° 04 o prefeito municipal de Codó, usando das atribuições que a lei lhe confere e de conformidade, com o Decreto n°26 de 02 de janeiro de 1935, desta prefeitura, – resolve nomear a Excelentíssimo D. Maria José Siqueria, para exercer o cargo de professora municipal, da escola “Marques Rodrigues”, do bairro Trizidela, desta cidade, percebendo os vencimentos de cem mil réis, (100$000) mensais, correndo a despêza pela “Instrução Pública”. Registre-se e publique-se. Prefeito Municipal de Codó, 02 de janeiro de 1935. (a) José Raimundo do Lago – Prefeito Municipal”. “Portaria N° 09 O prefeito municipal de Codó, usando das atribuições que a lei lhe confere e de conformidade com o decreto n° 29 de 30 janeiro passado desta prefeitura, resolve nomear a Excelentíssima Sra. Carmem de Mello Alvim Lindoso, para exercer o cargo de professora municipal da escola “Eduardo Lindoso”, do povoado Campestre do Distrito de Monte Alegre, percebendo os vencimentos de cem mil réis (100$000) mensais. Registre-se e publique-se. Prefeitura Municipal de Codó, 01 de fevereiro de 1935. (a) José Raimundo do Lago – Prefeito Municipal”.

      Codó-MA, janeiro de 2019

Professor Carlos Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!