08 – FATOS E PERSONAGENS QUE ENALTECEM A HISTÓRIA DE CODÓ

Continuem lendo sobre o título acima.

  • ESCOLA AGROTÉCNICA EM CODÓ. A instalação deste estabelecimento de ensino na terra codoense, deve-se aos esforços do prefeito José Inácio junto ao Comandante Renato Archer, cuja construção se deu na sua gestão, sendo construído mais de 60 % das obras, a cargo da empresa OAS da Bahia. A fiscalização desta importante construção era feita pela antiga Escola Técnica de São Luís (CEFET), através dos seus engenheiros. A conclusão do majestoso prédio ocorreu na gestão do prefeito Biné Figueiredo, sob a responsabilidade do competente engenheiro Ricardo Gomes. Passado o tempo, a Escola Agrotécnica Federal de Codó, conforme Lei n° 11.992, passou a denominar-se   Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnológica do Maranhão (IFMA)    
  • RAIMUNDO NONATO GUILHON DO AMARAL. Maranhense, nascido no dia 14 de abril de 1904, filho de João Raimundo Guilhon do Amaral. Casou-se em segundas núpcias com Margarida Mota, também viúva. Concluiu seus estudos nesta cidade de Codó. Sócio da Companhia Manufatureira Agrícola do Maranhão, na qual exerceu as funções de Contador e Diretor. Com encerramento das atividades da Manufatureira, foi criada a CIBAM (Companhia Industrial de Babaçu e Algodão do Maranhão), onde exerceu a função de Diretor Industrial. Presidiu a Sociedade Previdente Mutuária Codoense, Centro Operário Codoense e outras entidades beneficentes. Elegeu-se vereador para o mandato de 1951 a 1955, e reeleito para os períodos: – 1956-1961 e 1961-1966. Em seu último mandato, teve como companheiros: Antônio Joaquim Araújo, José Anselmo dos Reis Freitas, Oswaldo Santos, Antônio Leomagon de Alencar, Alai da Cunha Machado, José de Alencar Brandão, Reinaldo Araújo Zaidan, Emílio Biló Murad e José Medeiros Silva.
  • ANTÔNIO ALEXANDRE DE BAYMA. Engenheiro civil, exerceu o cargo de engenheiro do Estado na administração do interventor Serôa da Mota, Prefeito de São Luís, na administração do interventor Martins de Almeida, diretor dos Serviços Urbanos na administração do Coronel Sebastião Archer da Silva e diretor da Estrada de Ferro São Luís – Teresina, nomeado pelo General Gaspar Dutra , presidente da República. Ocupou uma cadeira no Senado da República, como representante do Maranhão, eleito pelo Partido Social Trabalhista, de direção nacional do Senador Vitorino de Brito Freire. O ilustre Dr. Antônio Alexandre Bayma é codoense, homenageado na sua terra berço com seu nome, dado à ponte sobre o Rio Itapecuru e uma Rua no Bairro São Benedito, a antiga Rua da Vala.
  • POSTO DE COMBUSTÍVEL. Conversando com Raimundo Isaías Filho, meu ex-aluno, disse-me que o seu pai, senhor Raimundo Isaías da Silva, foi o primeiro a se estabelecer com a venda de combustível no município de Codó, com o seu posto Texaco, instalado no povoado Km-17, na década de 50. Tendo entre seus “bombeiros” José Duailibe e outros. Depois o posto foi transferido para a Avenida Primeiro de Maio, em frente da Estação Ferroviária. Naquele tempo, 38,5 l de gasolina, custava Cr$ 494,00 e um litro de Óleo Cr$ 60,00. Esses valores encontram-se plastificados conforme foram exibidos.
  • TOMÉ SILVA. Filho de Hilário Silva e Evarista Silva. Nasceu na cidade de Codó no dia 20 de dezembro de 1924. Descendente de família humilde, por isso, teve de trabalhar cedo para ajudar os seus pais, como carregador de lenha, para a Fábrica Manufatureira. Casou-se com Raimunda Iza Silva, em 27 de janeiro de 1950. Residiu por muito tempo no interior, trabalhando com um pequeno comércio. Retornou para Codó e se empregou com os comerciantes Salém, Murad e Nagib Buzar. O seu último emprego, na loja do Sr. Abdon Murad, foi encarregado do Armazém, onde era responsável pela pesagem de babaçu e outros gêneros, e á noite, na portaria do Cine-São Luís. É pai de 12 filhos e avô de 19 netos. Possui um grande número de amigos, é amante ardoroso da família, participa das reuniões da Igreja da Matriz. O seu time preferido é o Vasco da Gama. Tomé é uma pessoa simples, bastante popular e acatado na comunidade codoense. O grande amigo Tomé, Deus já o chamou para Morada Eterna.
  • A 9ª COMPANHIA INDEPENDENTE DE CODÓ. Há 16 anos, exatamente, em janeiro de 2002 foi instalada esta companhia da Polícia Militar em Codó, sob o comando da Major Edilene Soares da Silva, com a presença das autoridades, empresários e a sociedade codoense. A 9ª Companhia Independente da Polícia Militar foi instalada no dia 22 de janeiro, em Codó. A CI já estava para ser Instalada há muito tempo, mas, por motivos superiores nunca havia se consumado. Foram travadas muitas lutas políticas em sua busca, que por algum tempo estava apenas como um destacamento ou um pequeno batalhão da PM, na cidade. O início da cerimônia se deu às 10h:45m com a chegada, de helicóptero, do cel. José Nogueira Lago, comandante geral da PM, do delegado geral da Polícia Civil, Júlio César, representante do gerente de Justiça, Segurança e Cidadania, Raimundo Cutrim, que juntos com a tenente coronel Inalda deram posse a major Edilene Soares da Silva, no comando da mais nova Companhia Independente da PM no interior do Estado. Jornal A Tribuna, Ed. Janeiro de 2002.   

      Dezembro de 2018

Professor Carlos Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *